Search

1, 2, 3 e….já!!!/1, 2, 3…Go!!!

Já falamos um pouquinho sobre descanso, sobre como comer de forma mais adequada, agora está na hora de falar um pouco sobre…


5. Exercitar seu corpo adequadamente


Se eu te disser que somos seres que tem corpos feitos para o movimento, você acreditaria?


Observe nossa posição, nossas articulações, musculatura, nossa mobilidade – a facilidade com que nos movimentamos das mais diversas formas; tudo em nosso corpo evoca movimento. Para começar, o mais fundamental de todos é o movimento da respiração, fundamental para nossa existência neste mundo, e então podemos pensar em outros como: fugir de predadores e preservar nossas vidas, mover-nos para a caça ou colheita para obtermos alimentos e sobreviver, e para o deslocamento necessário em busca de melhores terras para caçar ou plantar…(de acordo com a época em nossa linha de evolução.)


Aí eu te pergunto, precisávamos de exercícios físicos?


Não! E até razoavelmente pouco tempo atrás, continuávamos sem ter que precisar tanto deles… por que? Porque sempre fomos muitos ativos. No entanto, algo mudou…

A tecnologia se renova de forma cada vez mais rápida e intensa e nossos comportamentos se moldam cada vez mais a ela, entretanto, talvez não da maneira mais adequada, e ainda, também por conta da tecnologia, não vivemos mais em escassez (pelo menos não teoricamente…).

Assim vai a maior parte das horas do dia: levantamos da cama, sentamos para o café da manhã (isso para quem consegue organizar seu tempo), saímos para trabalhar ou estudar e sentamos na condução que nos leva até lá, chegando ao trabalho ou local de estudo, sentamos novamente e passamos o dia todo assim, com pausa sentada para almoçar, quando saímos para retornar a casa, sentamos novamente na condução… reparou quanto tempo ficamos sentados?

Não brincamos, não andamos, não corremos, não interagimos com a natureza, muitos quase nem tem contato com a luz do dia, e para somar-se a estes fatores: comemos demais!


Quer misturinha mais bombástica para a natureza do corpo?


Não me admira tantas dores nas costas (cervical, lombar etc…), dores nas articulações que não se movimentam ou movimentam-se demais em esforços repetitivos, sobrepeso e obesidade; da simples falta de coordenação motora até a quase completa desconexão com o próprio corpo, só para citar alguns, e nem tão graves.


Temos de um lado os que quase não se movimentam mesmo, e do outro, aqueles que sabem, ou só sentem, que precisam se exercitar e por essa, e muitas outras razões, exercitam seus corpos de forma a ultrapassarem seus limites, como se seus corpos fossem máquinas.

Poderia comentar: ‘Não sei o que é pior’, mas prefiro chamar a atenção para os extremos - fazer nada ou fazer algo de forma exagerada são dois extremos opostos e nenhum extremo nunca foi bom… O Caminho do Meio, já dizia Buddha.


Segundo a tradição ayurvédica, devemos nos exercitar de acordo com a metade da nossa capacidade máxima, isso quer dizer por exemplo, se eu corro 30 minutos e ao fim desse tempo estou exaurida, deveria correr 15 minutos. Se a resistência vai aumentando progressivamente, acompanhada de uma melhoria no estado geral de saúde e energia vital, tudo bem ir aumentando um pouquinho. A noção de que suar muito é algo positivo precisa também ser revista, para alguns, por determinado tempo, pode até ser positivo, no entanto, para outros também pode indicar não só perda de peso e água, mas desgaste desnecessário da própria energia de vida e imunidade.


Enfim, quando não movimentamos algo que foi planejado para o movimento aquilo estraga, enferruja, perde a função etc, e o contrário: movimento/uso intenso e/ou inadequado arrebenta, esgarça, é lesionado, desgastado e no fim também perde a função, ou seja, em ambos os casos a decadência ocorre antes do tempo.


A necessidade por exercícios só surge porque paramos de movimentar nossos corpos do jeito que eles naturalmente se movimentariam…


Onde estou querendo chegar?


Na prática de exercícios de forma saudável. Não importa a atividade que você escolha, escolha de acordo com o seu gosto ou seu talento, só não sobrecarregue seu corpo, lembre-se ele é seu templo, sua única moradia enquanto você vive, então zele por ele. Ah e ficar na preguiça e procrastinação eterna também não é opção…

Se você não tem costume de fazer atividade física e está se perguntando o que fazer, pois não tem gosto por nenhuma atividade específica, comece com simples caminhadas, para o trabalho por exemplo, ou para levar seus filhxs à escola. Para quem não tem o hábito, isso já é alguma coisa, sem dúvida.


Se caminhássemos mais do que usamos carros, por exemplo, além de reduzirmos enormemente os insuportáveis momentos e quilômetros de trânsito, os gases poluentes, e a exploração de matérias-prima que demoram séculos para se decompor, ajudaríamos nosso corpo a manter o tônus muscular necessário para termos boa postura, para que o metabolismo do corpo funcione de maneira adequada (é, o exercício também melhora nossa capacidade de digestão), e para termos melhor ânimo e disposição na vida!


‘Fica’ na preguiça eterna não, mas também não fique igual loucx… Vá aos pouquinhos descobrindo o que te desgasta para que possa evitar e aquilo que te deixa com energia e disposição para a vida.


Fique à vontade para compartilhar suas experiências ou para perguntar qualquer coisa! ;-)

Beijinhos de Luz!


Escolha algo que goste de fazer, assim você mantêm a saúde do corpo e da mente ;-) Choose something you like to do, then you'll keep body and mind healthy ;-)

We already talked a little about taking rest, about how to eat in a more proper way, now it’s time to talk a little about…


5. Exercise your body in a proper way


If I told you that we’re beings who have bodies made for movement, would you believe it?

Take notice of our position, our joints, musculature, our mobility – the easy way we move in the most variable ways; everything in our body evokes movement. To begin with, the most fundamental of all is the breath movement, basic for our existence in this world, then we can think about others like running from predators to preserve our lives, moving properly in order to hunt or to crop and have food to survive, and to find better land, be it for hunting or cropping…


Then, I ask you, did we need physical exercises?


No! And until recently (relatively), we still didn’t need them that much… why? Because we were always pretty active. However, something changed…

Technology renews ‘itself’ in faster and more intense ways ever and our behavior gets more and more molded by it, but maybe not in the most adequate manner, and also because of technology we don’t live in scarcity anymore (at least not theoretically…).

Here is how most of our hours in a day goes by: we get up, sit for having breakfast (only for people who got to manage their time), we leave to work or study and sit in the means of transportation that gets us to our destination, arriving at the destiny we sit and spend almost the whole day like that, with pause for lunch – seated, and then we leave to go home, again sitting in the means of transportation…did you notice how long we spend seated?

We don’t play, we don’t walk, run, don’t interact with nature, many of us barely have any contact with the daylight, and to sum up: we eat too much!


Do you need anything else to go against your body’s nature?


It doesn’t surprise me to see so many of us with back pains (cervical, lumbar etc..), joint pains because they don’t move as they should or 'cause they move too much and repetitively, over weight and obesity; from the simplest lack of motor coordination to the almost complete disconnection with the body, just to mention a few, not so serious.


We have on one side, the ones that hardly ever exercise or intentionally move their bodies, and on the other side, those who know, or just feel, that they need to exercise and for that, and many other reasons, they move their bodies to overpass their limitations, as if bodies were machines.

I could comment: “I don’t know which is the worst’, but I’d rather call your attention to the extremes – doing nothing or doing something excessively are two opposite extremes and no extremes are ever good… The Middle Path, or The Way in Between, said Buddha.


As it is said in the Ayurvedic tradition, we should exercise according to half of our maximum capacity, that means for example, if I run for 30 minutes and at the end of that time I feel completely exhausted or drained, it means I should run for 15 minutes. If our resistance increases progressively, little by little, together with an improvement in the general health state and vital energy, that’s okay to go for more little by little. The notion we have that sweating a lot is something good also needs to be reviewed; for some, for a specific time, might be positive, however for others, it can indicate not only an excessive loss of water, but an unnecessary waste of our own vital energy and immunity.


So, when we don’t move something that was designed for movement that thing gets spoiled, rusty, loses its function etc, and on the contrary: intense or inadequate movement and use breaks, causes lesions, wear and tear and in the end loses its function, in a nutshell, in both cases decay occurs before it should.


The need for exercises only comes because we stopped moving our bodies in the way they would naturally move…


Where am I trying to get?


To a Healthy exercise practice. It doesn’t matter the activity you choose, choose it according to your taste or talent, just don’t overload your body, remember: your body is your temple, the only place you have to live, so take care of it. Oh and being in eternal laziness and procrastination isn’t an option as well…

If you are not used to practicing any activity and is asking yourself what to do, ‘cause you don’t like any specific activity, begin with simple walks: to work for example, or to take your kids to school. For someone who doesn’t have this habit, this is already a good start, for sure.


If we walked more than we use our cars, for example, besides reducing hugely the unbearable moments and kilometers in traffic, the emissions of toxic gases, and the exploration of raw material that take years to decompose, we would help our bodies to maintain the necessary muscular tonus for having a healthy posture, to keep and improve the body metabolism so it can work properly (yeah, exercises improve our digestion), and to have better mood and disposition towards life!


Don’t be in this eternal laziness, but don’t act like a crazy machine as well… Little by little go paying attention to what exhausts you so you can avoid it and what gives you energy and disposition for life.


Feel free to share your experiences or to ask anything! ;-)

Litlle kisses of light!


67 views

​© 2018 Semeia Vida by Tatiana Lopes.