Search

Por que ir à aula de Yoga quando estamos doentes NÃO é Yoga?


Parece uma pergunta boba não é mesmo? Pois é... mas infelizmente não é.

Não é uma reflexão surreal, mas sim, ela exige bom senso e um tantinho de empatia...

Comecemos pela raiz yoguica dela...

Se alguém está doente, há uma demonstração física, vide: que seu corpo quer te mostrar, que algo não está bem e necessita de cuidado até que a saúde se restaure; logo, precisamos ir um pouco mais devagar neste período, já que a energia do corpo está debilitada e sendo utilizada no reestabelecimento do seu próprio equilíbrio. Sendo assim, se você vai a uma prática de posturas, seria bem sábio pegar leve, ou simplesmente substituí-la, considerando-se que Yoga não é só postura, ou ainda, considerar seriamente o direito que tem ao descanso, já que mais uma vez, Yoga não é produtividade.

Outro ponto importante a ser considerado nesta mesma raiz é…

Se seu corpo está debilitado em determinado momento e você o ‘força’ com prática de posturas (ou o que quer que seja), estará o debilitando ainda mais, ou seja, estará indo de encontro a um dos principais preceitos que acompanham o Yoga: a não-violência, também conhecida como Ahimsa.

É sempre mais fácil lembrar da não-violência quando pensamos em não machucar outros seres, apesar de mesmo assim nem sempre o fazermos… Mas e quando nosso padrão de comportamento nos faz violentarmos a nós mesmos?! (Um exemplo que se encaixe no contexto: ‘estou doente, não estou me sentindo bem e/ou disposto, mas eu paguei, então eu vou...’)

Pois é, se você ainda não tinha olhado sobre esse prisma, vale à pena a reflexão...

E se o que promoveu seu adoecimento foi algo do tipo viral, que possibilite o contágio de outras pessoas?!

Neste caso, considere a não-violência ou respeito ao outro, seus colegas de aula, seu professor(a)... pode-se pensar: ‘estou bem gripadx, por exemplo, mas estou me sentindo bem, só espirrando e tossindo, vou para a aula’. Observe que tosse e espirro espalham gotículas de água (saliva, secreções..) cheinhas de vírus que só precisam encontrar alguém que esteja com a imunidade um pouquinho mais baixa para fazer a ‘festa’. Logo, em um ambiente geralmente fechado, a chance de contágio das outras pessoas é bem grande, e se você está consciente do que tem e que há essa possibilidade, não está considerando que pode deixar alguns ou mesmo todos doentes... Mesmo que você já tenha passado por situações assim e percebeu que ninguém ficou doente logo de cara, também tenha em mente, que as doenças virais mais comuns, em geral, levam de 3 a 6 dias para se manifestar. (só um dado curioso a ser lembrado)

Atitudes conscientes e responsáveis para consigo e para com os que nos cercam são algo fundamental no desenvolvimento da prática de Yoga! Sem isso, sua prática de posturas pode ser mais uma ginástica do que Yoga propriamente dito...

Então assim, na próxima vez que adoecer ou sentir-se mal pense no cuidado de si mesmx e daqueles que o cercam.

Beijinhos de Luz!



Why going to a Yoga class when we’re sick is NOT Yoga?


It seems a silly question right? Yeah…. But unfortunately it isn’t.

It’s not a surreal reflection, but yes, it does demand from us prudence and a little empathy…

Let’s start from its Yogic root…

If someone is sick, there is a physical demonstration, your body is trying to show you, that something is not good and that it needs care until health is restored; so, we need to go slower in those moments, since the body energy isn’t in its best and it’s also being used to reestablish its own balance. That being said, if you’re going to a(n) Asana/posture practice, it would be wise to go easy, or just simply substitute it considering that Yoga isn’t all about postures, or still, seriously consider the right you have to just rest, remembering once more that Yoga isn’t about productivity.

One more point to be considered from this very same root is…

If your body is debilitated in a certain moment in life and you ‘force’ it with postures practice (or whatever physical exercise), you’ll be damaging it even more, so, you’ll be acting against one of the main principles that follow Yoga: non-violence, also known as Ahimsa.

It’s always easier to remember of Non-violence when thinking of not harming other living beings, however we tend to do it even when aware of that fact… But what about our behavior patterns that make us violent ourselves?! (an example that fits in this context: ‘I’m sick, I’m not feeling ok, but I’ve paid for the class, so I’m going either way…’)

Yeah, if you hadn’t looked it through this perspective, it’s worthy to start doing it…

What if what made you sick was something viral, that might infect other people?!

In this case, consider non-violence or respect toward others, your Yoga mates, your teacher… When you think: ‘I got a flu, i.e, but I feel ok, all I do is sneeze and cough, so I’m going to class’. Know that cough and sneeze spread droplets of water (body fluids..) full of viruses that only need to find someone with a lower immunity to ‘party’. So, in a place, usually closed, the chance of infection to other people is quite high, and if you’re aware of what you have and that there’s this infection possibility, you’re not considering that you might 'help' some of the people, maybe all, to get sick… Even if you had passed through similar situations and hadn’t noticed anyone sick right away, remember that, it might take 3 to 6 days so it can be manifested. (just a curiosity to remember)

Conscious and responsible attitudes toward yourself and the others are fundamental in the development of Yoga practice! Without it, you posture/asana practice might be more of gymnastics or work out than Yoga itself…

That being said, next time you get sick or feel sick think about your health and of those who surround you too.

Kisses of light!

33 views

​© 2018 Semeia Vida by Tatiana Lopes.